Cuide de seu filho

Interessante a campanha deflagrada pela sub-seccional de Chapecó, da OAB/SC, em conjunto com a Caixa de Assistência dos Advogados (CAASC/SC). Um slogan, expresso em adesivos, pontua: “Pai, cuide seu filho na madrugada – A vida é melhor sem álcool, drogas e direção perigosa”.

006

A advertência – realmente paternal – consigna uma grande verdade: a omissão dos pais e responsáveis, no mundo contemporâneo, onde a luta pela sobrevivência e/ou o desfrutar da vida levam ao esquecimento do diálogo e da presença daqueles na vida dos filhos.

Neste particular, embora não possa ser considerada esta a única causa dos problemas, certamente ocupa papel de destaque, junto à própria insatisfação íntima que o ser possa experimentar, em diversas fases da vida, a “atração” pelo novo, ou pelo “proibido”, a “fuga” da realidade e das cobranças, a influência do grupo social mais próximo, etc.

Recentes dados da Unesco sobre sexualidade mostram, ainda, o alargamento do conceito de precocidade sexual, graças ao incentivo ou à tolerância da Sociedade e dos meios de comunicação. Não se trata, pois, de querer conceber uma “redoma de vidro” onde possamos colocar nossos filhos a salvo de tudo quanto seja perigo, mas, do contrário, é imperioso desencadear uma profunda reflexão no que tange ao “destino” de nossos adolescentes e jovens, se a tônica é a da omissão e a da indiferença.

Preocupados com o incontido e alarmante aumento da criminalidade, sobretudo na fase juvenil, todos os setores conscientes da coletividade devem fomentar campanhas como a citada, ampliando-as e promovendo um constante debate, sobretudo nas escolas, universidades e templos religiosos, para que a divulgação e o compromisso possam ser as armas necessárias para o bom combate destas mazelas.

Antes disto, é imperioso questionar: Pai (ou Mãe), com quem anda seu filho?