Hoje

027

Hoje talvez consiga dormir mais cedo,
Sem medo,
Hoje quero que a noite passe mais depressa,
Só isso me interessa.
Hoje à noite novamente ficarei observando grades,
Grades de aço,
Só ao vê-las meu coração bate em mil pedaços.
Hoje à noite pede e cheira à morte,
Hoje à noite talvez seja muita sorte
Passar mais uma noite aqui,
Hoje à noite me entorpeço
E me esqueço
De tudo aquilo
Que nas outras noites eu ainda não entendi.

Poesia de Fábio Silva, detento do Presídio Regional de Tijucas, aluno do curso de educação de adultos (CEJA), primeiro lugar no sexto concurso de poesias (“Liberte-se… nas asas da poesia!”), sob a coordenação da poetisa Márcia Reis Bittencourt.