Fábula da Verdade – Conto Judaico

025

Um dia, a Verdade andava visitando os homens sem roupas e sem adornos, tão nua como o seu nome.

E todos que a viam viravam-lhe as costas de vergonha ou de medo e ninguém lhe dava as boas vindas.

Assim, a Verdade percorria os confins da Terra, rejeitada e desprezada.

Uma tarde, muito desconsolada e triste, encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.

- Verdade, por que estás tão abatida? – perguntou a Parábola.

- Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto!

- Que disparate! – riu a Parábola

- Não é por isso que os homens te evitam.

- Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece.

Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda à parte onde passa era bem-vinda.

- Pois os homens não gostam de encarar a Verdade nua; eles a preferem disfarçada…
CONTO JUDAICO
Um dia, a Verdade andava visitando os homens sem roupas e sem adornos, tão nua como o seu nome.

E todos que a viam viravam-lhe as costas de vergonha ou de medo e ninguém lhe dava as boas vindas.

Assim, a Verdade percorria os confins da Terra, rejeitada e desprezada.

Uma tarde, muito desconsolada e triste, encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.

- Verdade, por que estás tão abatida? – perguntou a Parábola.

- Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto!

- Que disparate! – riu a Parábola

- Não é por isso que os homens te evitam.

- Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece.

Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda à parte onde passa era bem-vinda.

- Pois os homens não gostam de encarar a Verdade nua; eles a preferem disfarçada…
CONTO JUDAICO